• Prova organolética: Com cor citrina, é frutado e fresco. Tem aroma limpo e agradável com um bouquet rico e interessante. Frutos citrinos evidentes e aromas suaves de frutos tropicais. Muito equilibrado e com uma estrutura interessante. Sugestões:  Harmoniza na perfeição com diversos pratos como por exemplo peixes, carnes de ave grelhadas comida Asiática ou uma salada fresca. Servir a temperatura de 8 a 10°C. Guardar as garrafas na posição deitada ao abrigo da luz.
  • Vinificação: Para obtenção do vinho base, a partir da casta tinta BAGA, primeiro temos a prensagem directa das uvas tintas de modo a aproveitar só o mosto "lágrima" o mais limpo possível. Depois, segue-se decantação a frio e posterior fermentação longa, do mosto limpo a temperatura controlada. Acabada a fermentação é mantido sob borras finas e com mínimo de sulfitação até ao engarrafamento para segunda fermentação dentro da garrafa. Nesta fase fermenta lentamente e em ambiente fresco dentro da garrafa. Assim se obtém o CO2 natural que origina uma bolha fina. Depois de completada a fermentação, o vinho teve um período de envelhecimento na garrafa pelo período mínimo de dois anos em contacto sob as borras finas das leveduras já mortas, o que influenciou muito o sabor, preservação da fruta, aumento de volume, complexidade e melhoria da textura do espumante acabado. Método de produção: Espumante natural preparado seguindo o “Método Clássico” que prevê uma fermentação em garrafa e um estágio em contacto com as leveduras, seguido de um período de ”remuage”. Espumante com degorgement “à la volée” Prova organoléptica: É um espumante natural, feito em exclusivo de uma casta tinta, a BAGA. Bruto, tem uma bolha muito fina e persistente, como só os melhores espumantes apresentam. No nariz e na boca apresenta notas tostadas, complexas, fruta branca madura e frutos secos. Na boca é um espumante fresco e com alguma complexidade, onde sobressai a estrutura e volume, com bom equilíbrio entre corpo e acidez. Termina cremoso e com frescura. Sugestões: A estrutura e complexidade aromática dá a este vinho grande amplitude gastronómica, acompanha bem pratos de carne ou peixe, sem perder a boa capacidade de se apreciar sozinho, sendo também um óptimo aperitivo. Deve ser servido num bom copo e a uma temperatura de 8 - 10ºC. Guardar as garrafas na posição deitada ao abrigo da luz. Contém Sulfitos
  • Vinificação: Primeiro temos a prensagem directa, muito cuidada e ligeira, de uvas tintas (Baga) bem como das uvas brancas, de modo a aproveitar só o mosto "lágrima" o mais limpo possível. Depois, segue-se decantação a frio e posterior fermentação longa, do mosto limpo a temperatura controlada. Após a fermentação, 50% do vinho fez um pequeno estágio em barricas. Antes de engarrafar o vinho foi sujeito a uma estabilização e filtração suaves. Notas de Prova: Aromas frescos, com notas florais, citrinas, minerais, fruta branca madura e chá. Na boca apresenta-se fresco, com boa acidez e bom corpo, aliado a um paladar frutado. O pequeno estágio em madeira conferiu notas tostadas, mais corpo e estrutura. Sugestões: Para consumir já ou guardar alguns anos. Pela sua estrutura e complexidade pede pratos de peixe elaborados ou mesmo pratos de carne leves. Servir a temperatura de 10 a 12°C. Contém Sulfitos
  • Vinificação: A fermentação das duas castas ocorre separada em tanques de aço com temperatura controlada e maceração cuidadosa durante uma semana para ter melhor expressão aromática das castas. Após um período com madeira da Baga e Syrah, a mistura final é feita para ter a melhor expressão e equilíbrio das duas uvas no vinho final. Antes de engarrafado foi submetido a estabilização e filtração suaves. Prova organoléptica: Aromas de frutas maduras vermelhas e escuras, alguns aromas complexos e doces derivados do envelhecimento nos barris. Algum bom carácter vegetal derivado de Baga. Na boca, é bem estruturado com bom corpo, resultando em sabor harmonioso com um acabamento persistente e fresco. Este vinho tem um excelente potencial gastronómico e envelhecimento. Sugestões: Vinho com muito bom potencial gastronómico. Pode ser bebido agora acompanhando pratos de carne fortes e salsichas ou de preferência no final de uma refeição com um bom queijo. Se preferir, aproveite a excelente capacidade de evolução em garrafa por alguns anos, onde ganhará muito mais complexidade e ficará mais suave. Servir a uma temperatura de 18 a 20 ° C. Guarde sempre as garrafas a uma temperatura controlada moderada, horizontalmente e longe da luz. Contém sulfitos
  • Vinificação: Lote constituído na sua maioria por castas bem típicas da Região: Tinta-Roriz e Castelão e com alguma pequena percentagem de Touriga-Nacional e Syrah. As uvas foram colhidas em caixas. A fermentação ocorreu durante 6 dias em cubas de Inox com temperatura controlada e maceração muito cuidada para melhor expressão da tipicidade das castas, favorecendo extração de fruta e taninos macios. Estágio: Estágio em depósitos de inox e pequena parte em barricas semi-novas. Até ao engarrafamento teve apenas estabilização natural e uma ligeira filtração de modo a manter todo o seu potencial de estrutura, fruta e frescura Prova: Vinho de carácter jovem, com aroma de fruta vermelha e notas de frutos mais maduros. Sobressai o caracter fresco do vinho em conjugação com algumas notas doces e compota que resultam do pequeno estágio em madeira, que lhe confere alguma complexidade e notas especiadas. Surgem algumas notas vegetais típicas. Na boca tem corpo, com final fresco e persistente, mostrando bom equilíbrio entre acidez natural e estrutura. Termina com alguns taninos ainda vivos e fresco, dando bom carácter gastronómico ao vinho Sugestões: Para consumir já ou guardar alguns anos. Pela sua estrutura e frescura de boca tem boa capacidade gastronómica para os pratos de carne e enchidos do dia a dia. Acompanha carnes leves ou bem temperadas, enchidos e queijos ligeiramente curados. Servir a temperatura de 16º C usando copo grande de preferência. Contém Sulfitos
  • Prova Organolética: De cor intensa, apresenta aromas maduros de frutos vermelhos e escuros, com notas de frutos silvestres, especiarias e notas balsâmicas. Esteve um ano em barris novos de carvalho francês. O resultado foram as notas doces, mais estrutura e complexidade conferidas ao vinho. Então, na boca tem boa estrutura, acidez, com complexidade e longa persistência. Sugestões: Pode ser bebido acompanhando pratos fortes de carne, salsichas, queijo e doces. Recomendamos decantar revelando todo o seu potencial e servir a uma temperatura de 18 a 20°C. Guarde sempre as garrafas horizontalmente, a uma temperatura moderada e controlada, longe da luz. Contém sulfitos
  • Tecnologia de vinificação e estágio: As uvas foram colhidas manualmente para caixas na parcela de Touriga-Nacional mais velha e bem localizada na Quinta. Depois tiveram desengace quase total, esmagamento e fermentação em lagares de granito com pisa a pé e maceração cuidada para melhor expressão da tipicidade da casta, melhor fruta e estrutura. A fermentação maloláctica ocorreu em inox e depois estágio de 1 ano em barricas de carvalho francês semi-novas e algumas de carvalho americano. Seguiu-se novo estágio em depósitos de inox por mais um inverno, privilegiando apenas a estabilização natural. Segue-se posterior engarrafamento com envelhecimento em cave durante um período mínimo de 1 ano. Até ao engarrafamento teve apenas estabilização natural e uma ligeira filtração de modo a manter todo o seu potencial, pelo que poderá apresentar algum depósito durante o envelhecimento em garrafa. Prova organoléptica: Resultou um vinho estruturado, com volume e uma fruta elegante e floral bem típica da casta, associado a notas de compota de fruta vermelha madura e alguma fruta negra. Aromas tostados e doces resultantes do estágio em madeira, que concentrou e estruturou o vinho ficando assim mais volumoso e redondo. Final persistente onde ressalta a mineralidade e frescura bem características da Região do Dão. Aptidões: Pode ser consumido desde já para apreciadores de vinho bem estruturado acompanhando pratos de carne e enchidos ou no final de uma refeição com um bom queijo da Serra. Se preferir aproveite a excelente capacidade de evolução em garrafa por alguns anos, onde vai ganhar muito mais complexidade e vai ficar mais macio e adquire mais notas especiadas e balsâmicas. Aconselhamos sempre a sua decantação de modo aproveitar e libertar todo o seu potencial e servir a uma temperatura de 16 a 18 ºC. Guardar sempre as garrafas em ambiente com temperatura amena e controlada, ao abrigo de luz e na horizontal. Contém Sulfitos
  • Vinificação: Uvas colhidas manualmente em pequenas caixas, desengaçadas e fermentadas em inox com temperatura controlada e cuidada maceração para melhor expressão das castas. Estágio: Guardado em inox com estabilização natural e pequena parte em barricas usadas. Ligeira filtração antes do engarrafamento para preservar frescura e fruta típica da Região Prova organoléptica: Vinho com aromas de frutos vermelhos e maduros e alguma fruta negra. Notas tostadas e balsâmicas. Apresenta boa estrutura e acidez. Sobressai o caracter  fresco do vinho o que em conjugação com aromas doces e tostados que resultam de pequeno período de estágio em madeira, lhe confere alguma complexidade e harmonia. Sugestões: Vinho com boa aptidão gastronómica. Servir a 16- 18ºC. Guardar as garrafas na posição deitada ao abrigo da luz. Contém Sulfitos
  • Método de produção: Espumante natural preparado seguindo o “Método Clássico”. O vinho de base depois de muito cuidadosa fermentação e estágio sob borras finas e com mínimo de sulfitação, foi engarrafado com adição de novas leveduras, originando uma segunda fermentação (lenta e em ambiente fresco) dentro da garrafa a partir da qual o CO2 natural foi obtido originando bolha fina. Depois de completada a fermentação, o vinho teve um período de envelhecimento na garrafa pelo período mínimo de um ano em contacto sob as borras finas das leveduras já mortas, o que influenciou muito o sabor, preservação da fruta, aumento de volume e melhoria da textura do espumante acabado. Envelhecimento: um período mínimo de 12 meses antes do degorgement. Prova organoléptica: Cor citrina pálida. Bolha fina e persistente com boa perlage. Aromas florais e de fruta branca pouco madura e ligeiras notas tropicais e citrinas. Sabor suave, mas persistente com um fim fresco e cremoso. Boa acidez e estrutura que confere um bom potencial gastronómico. Com mais tempo em garrafa pode ganhar algumas notas do tipo tostados ou mel. Sugestões: Deve ser servido num copo adequado e bem limpo. Beber a temperatura de 6 - 8ºC, como aperitivo, com sobremesas ou até acompanhando pratos de carne ou peixe.  Contém Sulfitos
Go to Top